Michael Campos

Entenda a importância de ter um banco de dados para e-mail marketing

Guia de Investimento
Guia de Investimento

Entre para nossa lista e receba
conteúdos exclusivos em primeira mão!

    Compartilhe

    Compartilhar no facebook
    Compartilhar no twitter
    Compartilhar no linkedin
    Compartilhar no pinterest
    Compartilhar no tumblr
    Compartilhar no whatsapp

    O e-mail marketing é uma estratégia de marketing. Por trás disso, há todo um processo para realizar os lançamentos de e-mails em massa, e para isso, é preciso ter um banco de dados para e-mail marketing, que por sua vez é a base do vínculo entre empresa e cliente. 

    Parte das vantagens de criar um e-mail marketing é criar uma interação com o público-alvo, e além disso, aumenta consideravelmente o número de vendas da empresa. 

    Ao contrário do spam, o e-mail marketing é direcionado para pessoas que realmente se interessam pelo assunto. Com isso, você pode enviar mensagens que vão de acordo com cada perfil de pessoa. 

    Outra característica positiva do e-mail marketing é a liberdade que o público tem sobre querer, ou não receber informações relacionadas a empresa. Geralmente, os e-mails lançados mostram a opção de cancelamento de recebimento. 

    Outra forma de dar a sensação de liberdade ao público-alvo, é promover pesquisas de opinião que dizem a respeito de como está sendo conduzido os e-mails de campanha. É importante que a empresa não invada o espaço do cliente com os e-mails. 

    A expectativa para 2024 é que os usuários de e-mail aumentem até 4,4 bilhões, segundo o levantamento que foi feito pela empresa Radicati. 

    O estudo também apontou que a quantidade de e-mails enviados pode ultrapassar os 361 bilhões, ou seja, os e-mails estão se tornando cada vez mais uma alternativa para as empresas. 

    Com os números citados acima, é inevitável não pensar em como a utilidade dos e-mails poderiam ser tão grandes. 

    Serve também, por exemplo, para comunicar ações corporativas, como a contratação de stand para eventos, que servirá para mostrar como será a estrutura do evento corporativo. 

    Uma opção que atinge tanto o indicador de vendas, quanto para gerar um novo número de consumidores dos produtos ou serviços da companhia.

    Dentre tantos os tipos de marketing, o e-mail marketing surgiu como uma nova abertura e maneira de educar os consumidores através de conteúdos desenvolvidos estrategicamente. 

    Pelo fato da plataforma oferecer envios de links, e suportar elementos visuais, os conteúdos trabalhados nos e-mails tendem a atrair facilmente os consumidores por meio de informações relevantes, que por sua vez, é a maior isca dos analistas de marketing. 

    Além disso, é  importante que a empresa tenha uma comunicação visual para empresas própria, isso porque uma companhia passa a ser original no momento de ter autonomia nas escolhas que dizem a respeito da característica da empresa. 

    Por isso, considere investir o seu tempo na construção da comunicação e identificação visual da sua empresa. Isso fará com que você se destaque das demais companhias que estão no mesmo mercado, ramo ou segmento. 

    Até então, já entendemos o que é, e qual a sua importância para um negócio. Agora, por que um empresário deve praticar o email marketing no seu empreendimento? Saiba abaixo a relevância da estratégia. 

    Saiba os motivos para fazer o e-mail marketing

    Como já comentado, a prática de e-mails está se tornando cada vez mais comum entre as pessoas. Só em 2021, estima-se que já existem mais de 310 milhões de usuários espalhados pelo mundo.

    Como já citamos, a expectativa é que o número de pessoas que usam e-mail tende a aumentar ainda mais, favorecendo empresas que buscam alternativas de baixo custo para divulgar o seu produto ou serviço. 

    Por outro lado, o e-mail também pode ser utilizado para manter uma comunicação interna com o quadro de funcionários de uma empresa. Por exemplo, o gestor responsável deve promover periodicamente ações para motivar os funcionários. 

    Nos e-mails para os funcionários, o gestor pode comunicar brindes corporativos personalizados que servirão como uma iniciativa de uma nova trajetória da empresa. 

    De fato, o e-mail é certamente a alternativa que mais possui probabilidades de alcançar diretamente clientes potenciais. Além disso, a opção possui um custo muito abaixo se for comparado com outros meios de divulgação, como banners ou anúncios pagos. 

    Para reforçar a importância de fazer o e-mail marketing, é o fato de que, se uma campanha for bem elaborada, certamente você terá toda a atenção do cliente. 

    Isso acontece devido a interface dos e-mails que, ao clicar, a mensagem ocupa praticamente a tela inteira do consumidor. Em alguns segmentos da empresa, a interface dos e-mails pode favorecer consideravelmente a empresa. 

    É o caso de companhias que trabalham com impressão de adesivos para parede, afinal, há espaço de sobra para mostrar os papéis aplicados, o que dará ao cliente segurança no produto em que ele quer comprar. 

    A importância do banco de dados para e-mail marketing 

    Entenda que, para traçar uma boa estratégia de venda de e-mail marketing, é necessário um banco de dados justamente para mandar os e-mails certos para as pessoas certas. 

    Ao mandar um e-mail para a pessoa certa, as chances de conseguir que as informações fiquem na mente do cliente são extremamente grandes. 

    Fica mais fácil de entender como a coleta de dados funciona, se compararmos como uma indústria de rótulos, que por sua vez, reúne as principais informações sobre um determinado produto e, através de rótulos, é colocado nos respectivos produtos. 

    A coleta de dados reúne as principais informações que podem ser úteis para a empresa. Trata-se de dados que podem ser reunidos tanto para automatizar os e-mails, quanto para tomar novas decisões a fim de aumentar as vendas da empresa. 

    Como criar um banco de dados?

    A maneira ideal para captar informações estratégicas dos consumidores é de forma natural, dando a liberdade para os mesmos de se cadastrarem para receber algo. 

    A coleta de dados deve ser feita naturalmente por qualquer empresa, ou seja, não há um segmento no mercado de trabalho que fique isento da coleta natural de dados. 

    Por exemplo, uma empresa de brinde pode desenvolver um formulário opcional para os clientes preencherem, a fim de criar novas ações e novos e-mails. 

    Desta forma, além de conseguir um público fiel a proposta da empresa, você estará praticando o opt-in, que é a boa prática do e-mail marketing. 

    Por outro lado, há a péssima prática que é a compra de listas de contatos aleatórios que algumas plataformas oferecem. Ao pagar um valor, a pessoa terá acesso a um certo número de pessoas que mal sabe se possui interesse na proposta do site ou da empresa.

    Para ficar mais fácil de entender, podemos usar um exemplo bem comum que boa parte das pessoas que possuem um e-mail já presenciou. Resumidamente, são os e-mails aleatórios que acabamos recebendo, com conteúdos que nunca demonstramos interesse em receber. 

    Ou seja, uma empresa de uniformes resolve lançar e-mails em grande massa para o seu banco de dados sem a seleção de personas. É nessa parte que as empresas devem tomar cuidado. 

    Caso uma pessoa que não demonstre interesse em certos produtos da empresa, receba e-mails de um produto que não esteja procurando, as chances da companhia perder esse cliente são altas. 

    Novamente, reforçamos a maneira de conseguir novos contatos de forma natural. A coleta de dados que servirá para formar um banco de informações, pode ser realizada através de formulários dos seguintes tipos:

    • Formulários independentes; 
    • Landing pages;
    • Formulários em redes sociais;
    • Inbound marketing.

    É importante que, o responsável direto pelo desenvolvimento dos formulários realize a operação através de ferramentas assertivas que sejam capazes de nutrir o interesse dos clientes com conteúdos estratégicos. 

    Dessa forma, uma empresa que trabalha com um sistema de entrega, deve mostrar as atividades operacionais e as alternativas usadas para automatizar o processo de trabalho dentro da companhia. Isso criará interesse no cliente sobre a empresa.

    Quais os passos após coletar os dados?

    Nesta parte, é necessário reforçar novamente a importância de saber separar os perfis de pessoas para que no momento de lançamento dos e-mails, eles sejam enviados para as pessoas certas. Se forem lançadas para as pessoas erradas, provavelmente será inútil.  

    Por exemplo, imagine lançar vários e-mails sobre um determinado produto que passa longe de ser o interesse de uma pessoa. Se isso acontecer, é bem provável que a pessoa que está recebendo os e-mails errados faça o descadastramento no site. 

    Por isso, tenha cuidado ao selecionar as pessoas que serão enviadas os e-mails. Saiba diferenciar e selecionar os diferentes perfis de pessoas que possuem interesse nos produtos ou serviços que a sua empresa oferece. 

    No processo da boa prática da coleta de dados, será só consequência alguns fatores que virão a acontecer no processo, entre eles:

    • A empresa não terá problemas com provedores;
    • Com os dados, ficará mais fácil diferenciar as personas;
    • Você terá uma lista que outras empresas não terão;
    • A empresa não será reconhecida como spammer.

    Por fim, a coleta de dados deve possuir alguns campos que devem ser preenchidos para ajudar o banco de dados, e o crescimento da empresa. 

    Os dados que não podem faltar são: assinatura de newsletter, cadastro no site ou plataforma da empresa, download de materiais promocionais e preenchimento de formulários de contato.

     

    Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

    Compartilhe:
    Compartilhar no facebook
    Compartilhar no twitter
    Compartilhar no linkedin
    Compartilhar no pinterest
    Compartilhar no tumblr
    Compartilhar no whatsapp

    publicidade

    social

    publicidade