Michael Campos

Você já ouviu falar sobre Neurodesign?

Guia de Investimento
Guia de Investimento

Entre para nossa lista e receba
conteúdos exclusivos em primeira mão!

    Compartilhe

    A relação entre as empresas e o seu público vem se tornando cada vez mais complexa, por causa da ampliação das ferramentas tecnológicas, assim como as estratégias comerciais. Então surgiu o neurodesign, adotando diferentes táticas para se atingir uma audiência.

    Fechar os olhos para essas novidades significa também colocar em risco a viabilidade do seu negócio, pois dentro de um mercado competitivo, são justamente essas ações comerciais avançadas que podem fazer o público preferir por uma marca em específico.

    Com tal ação ocorrendo em um cenário no qual as estratégias tradicionais de marketing já não possuem o mesmo alcance de antes. Algo que faz com que um anúncio na televisão não tenha o mesmo impacto de antes, com o público prestando atenção em outras telas.

    Mas até mesmo para uma loja que trabalha com a confecção de crachá em pvc personalizado, que conquistou um destaque ao ser uma empresa pioneira do seu setor, a adotar as plataformas digitais como um canal de vendas, pode hoje encontrar dificuldades.

    Isso porque o campo virtual está cada vez mais estabelecido como um cenário comum para o comércio, e quem não está alinhado a esse processo pode estar perdendo a oportunidade de alcançar uma melhor relação com o seu público, ao se posicionar em tais canais.

    Dentro desse ambiente de alta competitividade, pelo qual o público está sempre em busca de novidades, para decidir por qual companhia pretende realizar algum tipo de negociação, se mostra importante estar atento a todos os tipos de oportunidades que surgem.

    Trabalhando na adoção de estratégias até mesmo simples, como a oferta de uma sacola de papel kraft personalizada, estampando o nome da loja, para todos os clientes que fazem compras em seu estabelecimento, para aumentar o destaque visual do negócio.

    Muitas dessas estratégias otimizadas tem origem em estudos voltados a compreender como funciona a mente do consumidor, antes de tal público tomar qualquer tipo de atitude em relação às suas compras.

    Dentro desse campo amplo de possibilidades a serem analisadas, é válido destacar a função do neurodesign para convencer um público a fechar uma compra. Estratégia essa que vem conquistando um espaço amplo dentro do mercado comercial como um todo.

    Qual a função do neurodesign?

    O neurodesign funciona a partir da união de dois conceitos em particular, que é o destaque sobre o apelo visual de qualquer objetivo ou ação, por meio do seu design, através de uma construção baseada em estudos aprofundados, de perfil neurológico.

    A união da neurociência e da psicologia permite uma melhor criação em relação a termos de design, permitindo assim a elaboração de formatos mais eficazes, de acordo com o objetivo em cima de um produto. Seja ele algo material ou até mesmo imaterial.

    Englobando assim um formato físico em particular, como caixas de papelão ondulado embalagens, ou então algum modelo de base digital, tal com o design adotado em uma plataforma de interação disponibilizada por uma empresa específica.

    O conceito de neurodesign foi estabelecido pelo especialista em pesquisa psicológica Darren Bridger. Com tal assunto sendo o foco de duas obras em particular, sendo elas os livros Neurodesign de 2017 e Neuromarketing de 2018.

    Nas peças, Bridger fala sobre o uso dos estudos neurológicos em relação às atividades comerciais, com um foco em especial para a questão da criação de um design otimizado, permitindo assim um melhor encontro de resultados por quem trabalhe com tal questão.

    Especialmente nos dias de hoje, onde cada vez mais a sociedade mostra sua preferência por conteúdos de base audiovisual. Uma consequência também do avanço dos formatos digitais, como o destaque das redes sociais e dos conteúdos que ali são compartilhados.

    Sendo algo que pode ser trabalhado pelos mais diversos tipos de companhias, como empresas de modernização de elevadores, que utilizam do formato visual para conquistarem uma maior atenção em relação ao público a atuar como seus clientes.

    Principalmente se levarmos em conta o fato de que imagens com cores contam com uma chance de atenção 80% maior, além de outras ferramentas e estratégias de cunho digital que podem ser adotadas, para garantir na rede uma maior concentração pelos usuários.

    O neurodesign, diante disso, passa a ter uma grande importância, mas não apenas no setor digital, como também no cenário físico, através da criação de diferentes formatos de embalagem, por exemplo, ou até mesmo dos próprios produtos.

    Uma relação que acaba por fortalecer a associação entre o neurodesign e a gestão de uma marca.

    Como o neurodesign se associa ao branding

    O branding se trata de um conceito que busca tornar uma marca como algo em constante movimento, alcançando assim uma melhor atenção e consideração de compra por parte do seu público. Uma ação que pode se beneficiar do uso do neurodesign.

    Através de um conjunto de fatores que fazem dessa união essencial para que um negócio consiga se relacionar melhor com sua audiência, ao permitir que uma empresa de lavagem de persianas, por exemplo, alcance uma atenção diferenciada por suas ações.

    Isso tudo por causa que o neurodesign permite atividades como:

    Melhor trabalho de uma ideia

    É comum que uma marca trabalhe com conceitos específicos, que fortaleçam a sua relação com o público. Tal como uma marca de sabão, que através de elementos gráficos pode desenvolver melhor o seu ideal de limpeza, alcançando uma atenção maior de um cliente.

    Uma ação que poderá ser mais eficaz ao trabalhar junto aos conceitos de neurodesign, é observando o comportamento neurológico de um público, para então responder de forma adequada, com um design que aumente a percepção sobre um produto ou serviço.

    Elementos visuais de uma marca

    Outro ponto importante está na utilização de fato de elementos que podem destacar as ações de uma empresa. Incluindo a própria imagem da sua marca, como um fornecedor de estrutura metálica para galpão industrial, que deve destacar sua qualidade e segurança.

    Fatores que podem estar claros no campo visual de uma marca, a serem trabalhados por meio de elementos como:

    • Cores;
    • Símbolos;
    • Formatos;
    • Tipografia.

    Um conjunto de tópicos que se bem desenvolvidos podem garantir uma atenção diferenciada por parte de um público, relacionando-se melhor com uma marca e assim concluindo os objetivos comerciais estabelecidos por tal companhia.

    Tom de diálogo de uma marca

    O desenvolvimento de um branding opera também com a definição de um tom de diálogo específico, que permita uma melhor relação entre uma marca e o seu público-alvo. Com o uso do neurodesign, tal conceito pode alcançar resultados ainda melhores.

    A partir do fortalecimento dos ideais de uma marca, com tópicos que podem ser melhor desenvolvidos a partir do seu conceito visual, destacando assim a relação em que esses conceitos, de forma conjunta, podem otimizar as ações comerciais de uma marca.

    E para que o neurodesign possa contar com esse tamanho destaque, é importante ter atenção também a fatores específicos que atuam na composição desse conceito.

    Áreas que contribuem ao neurodesign

    Assim como uma empresa de instalação elétrica predial trabalha com diferentes conceitos para apresentar o melhor serviço possível aos seus clientes, da sua comunicação até a composição técnica dos serviços, o neurodesign possui uma base complexa.

    Com esse conceito sendo contribuído por fatores como:

    Neurociência

    Esse campo da ciência observa o campo das conexões nervosas do ser humano, e de como elas são importantes para melhor entender os instintos humanos, que são acessados para as mais diversas atividades, incluindo uma decisão de compra.

    Algo que coloca esse estudo como uma das principais bases do conceito de neurodesign, ao estudar as reações do público sobre um visual em particular, contando com um objetivo específico.

    Estética

    Essa área de estudos analisa a questão visual e de como certos aspectos podem ser mais agradáveis ao olhar. Pontos que se bem desenvolvidos podem fazer com que uma empresa consiga uma atenção maior em relação ao seu público.

    Seja através de suas embalagens ou até mesmo da composição de uma loja, que conta com o auxílio de um serviço de pintura eletrostática para compor o seu visual.

    Psicologia social

    A psicologia social estuda os diferentes tipos de relações que se formam na sociedade e de como isso é importante para a criação de um comportamento individual, mas também coletivo. Algo que pode influenciar até mesmo em uma decisão de compra.

    Pesquisa de mercado

    Por fim se destaca um conceito mais conhecido por quem trabalha com o marketing, que são os testes de pesquisas de mercado. Uma ação que permite a uma empresa conhecer melhor quais são as opiniões e preferências de um grupo em particular.

    A partir desse retorno torna-se possível aplicar melhores soluções aos seus produtos e serviços, com destaque para as características visuais desses fatores, o que faz com que o neurodesign deva ser considerado por uma marca que busca se destacar.

    Permitindo com que suas decisões comerciais levem a melhores resultados comerciais, ao trabalho com um conceito que se conecta diretamente às expectativas de uma audiência almejada.

     

    Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

    Compartilhe:

    publicidade

    social

    publicidade