Michael Campos

Negócios: veja 7 dicas para conseguir uma renda extra e obter sucesso

Guia de Investimento
Guia de Investimento

Entre para nossa lista e receba
conteúdos exclusivos em primeira mão!

    Compartilhe

    Compartilhar no facebook
    Compartilhar no twitter
    Compartilhar no linkedin
    Compartilhar no pinterest
    Compartilhar no tumblr
    Compartilhar no whatsapp

    Os principais problemas ampliados pela pandemia da SARS-Cov 2 estão relacionados ao desemprego e à perda de renda de pequenos e médios empresários. O empreendedorismo é uma alternativa inevitável para fugir da queda do poder de compra.

    Representando mais da metade das contratações formais e pilar econômico de numerosos municípios, os micro e médios empreendedores são conhecidos por sua capacidade de adaptação a circunstâncias desfavoráveis. 

    O cenário local que impulsiona a abertura de novos comércios está diretamente ligado à dificuldade. Muitos negócios surgiram quando um indivíduo perdeu o emprego ou necessitava de uma renda maior para se estabelecer.   

    Em regiões que apresentam alto fluxo de turistas, o agrupamento de restaurantes, lojas, cafeterias, casas de festa, padarias e supermercados movimentam a economia e fornecem o combustível para o desenvolvimento regional. 

    Fator de sucesso para estas empresas, o cuidado com o consumidor e a urgência em oferecer ao público a melhor experiência são observados pela população, especialmente preocupada com o calor humano que se perdeu nos últimos meses. 

    As medidas de restrição adotadas para o controle da pandemia desde março de 2020 se transformaram em uma grande ameaça para a sobrevivência de muitos negócios, gerando prejuízos que arrasaram cofres e reduziram a liquidez empresarial e doméstica ao mínimo. 

    Vivendo tempos de isolamento social, muitas famílias precisaram se reinventar e encontrar novas formas de extrair capital, impulsionando indivíduos a procurar novas oportunidades em meio às novas necessidades adquiridas com este estilo de vida. 

    Esse olhar ao consumidor pós-pandemia permitiu a formação de novas frentes de distribuição de bens de consumo, com destaque ao e-commerce, modalidade de vendas totalmente remotas e por isso, disponíveis em diferentes regiões. 

    As fontes alternativas para obtenção de renda podem ser enumeradas entre sete principais, abrangendo iniciativas do comércio, serviços e até mesmo da pequena indústria: 

    • Lojas virtuais; 
    • Intermediários de importação;
    • Criação de aplicativos; 
    • Consultorias; 
    • Aulas e cursos; 
    • Fabricação de alimentos; 
    • Fabricação de itens para cama, mesa e banho.

    Mantendo os princípios gerais que caracterizam os pequenos e médios negócios, estas iniciativas oferecem renda considerável e baixos custos de instalação. As obrigações tributárias desta modalidade também são simplificadas. 

    Opções disponíveis no comércio

    As iniciativas que compõem o setor de comércio figuram entre as mais populares para aqueles que aspiram uma renda extra ou a sonhada independência financeira. A atividade da área consiste na venda de bens de consumo tangíveis. 

    No cenário pandêmico, existem opções de comércios que podem ser implementados com um volume de investimentos baixo, ideal para aqueles que necessitam de uma renda extra para escapar da insolvência. Seu principal expoente são as lojas virtuais.

    1. Lojas virtuais

    Com a universalização do uso de equipamentos digitais, as operações de compra e venda através da internet se tornaram extremamente comuns. O isolamento social intensificou a tendência, visto que as visitas a estabelecimentos comerciais foram restritas. 

    As lojas virtuais se diversificaram desde então. A tendência anterior à pandemia indicava um crescimento do comércio virtual para as áreas de moda e tecnologia, na venda de celulares, computadores e artigos de vestuário. 

    Aspecto fundamental, o uso de ferramentas audiovisuais de mídia se profissionalizou com o fácil acesso a tutoriais e softwares que permitem a edição e tratamento de fotos e vídeos. Algumas empresas encaixam a contratação de modelos em suas despesas.   

    O uso de instrumentos de marketing de conteúdo, anúncio pago, além de boas estratégias de logística e atendimento são essenciais para a construção de uma cartela de clientes para uma loja virtual. Portanto, é necessário que o empreendedor conheça suas ferramentas.

    Para muitos, o primeiro passo é definir em qual plataforma será estabelecido o local de operação das vendas, as formas de pagamento aceitas, o veículo de transporte empregado e o raio de atuação da marca. 

    Estas informações vão lançar bases sobre o tipo de conteúdo que será gerado, a linguagem empregada e a criação de uma persona que se adeque ao consumidor ideal. As medidas são aplicáveis independentemente do produto comercializado. 

    Uma loja virtual que vende avental cirúrgico descartável deve observar o nicho de mercado ao qual faz parte, analisando características do cliente como profissão, idade, gênero e outros dados demográficos que facilitam a personalização do atendimento. 

    Além de oferecer as informações mais relevantes, um atendimento personalizado é um diferencial que garante um entendimento profundo sobre as necessidades do público-alvo e como adaptar o catálogo.

    As lojas virtuais atualmente negociam produtos do vestuário, entrega de alimentos, cosméticos e produtos de determinado nicho, como nutrição vegana, suplementos fitness, roupas de praia, maquiagens, desinfetante bactericida e itens tecnológicos em geral. 

    Opções disponíveis no ramo de serviços

    Caracterizados pela negociação de intangíveis, a prestação de serviços é também uma atividade presente na modalidade remota, dominando grande parte dos empreendimentos virtuais. A vantagem principal deste modelo é a redução de gastos operacionais. 

    Denominados ativos imobilizados, as empresas prestadoras de serviços por vezes precisam alugar ou comprar salas ou edifícios para seu alojamento, equipamentos e contratação de outros serviços como internet e telefonia para funcionar. 

    Todos esses gastos equivalem a dificuldades para a criação de novas empresas, não dispondo de um grande capital inicial para investimento. Por isso, o desenvolvimento do setor de serviços se transformou com a aplicação da comunicação remota. 

    A atividade possui grandes perspectivas para o futuro, diante da demanda crescente pela terceirização de tarefas do cotidiano como a limpeza doméstica, instalação de alarmes residenciais, educação e monitoramento de crianças e idosos, entre outras.

    Tal mudança reflete um fenômeno definido como a especialização do trabalho, onde o indivíduo primário delega funções a um indivíduo secundário, com o objetivo de focar em um ofício. O efeito final é a multiplicação de empresas para prestação de serviços. 

    1. Intermediários de importação

    Um dos impedimentos para o comércio internacional de mercadorias são taxas e procedimentos exigidos por cada território para importação, ou seja, a aquisição de bens de consumo provenientes de fora daquele domínio. 

    Atuando no Comércio Exterior, as empresas que trabalham como intermediárias entre produtor estrangeiro e consumidor nativo oferecem um serviço de baixo custo e alta procura, que pode ser realizado de modo totalmente remoto. 

    Acessível a microempreendedores individuais ou pequenas equipes, os intermediários de importação trabalham na compra do produto de servidor estrangeiro, no fornecimento de métricas de cálculo de tributos ou na indicação de empresas de transporte de carga.

    1. Criação de aplicativos

    A criação de aplicativos é uma alternativa viável para aqueles que exibem conhecimentos em Tecnologia da Informação, um nicho em fervente expansão que promete lucros altos a depender da relevância dos produtos disponibilizados. 

    Posicionado em um setor que valoriza a inovação, o criador de um aplicativo pode se beneficiar de bancos de armazenamento online para a construção de codificação robusta, caso o desenvolvedor não possua meios de adquirir uma máquina potente. 

    A criação de aplicativos pode abranger jogos, agendas capazes de realizar cálculos, interfaces de monitoramento de alarme e outros projetos com diferentes níveis de complexidade. 

    1. Consultorias

    Ideal para profissionais liberais, as consultorias aproximam cliente e prestador de serviço a partir da migração de especialistas para plataformas como redes sociais e blogs. Trata-se de uma vitrine, onde a empresa demonstra seu valor disponibilizando conteúdo gratuito. 

    Advogados, médicos, nutricionistas, personal trainers e outros profissionais produzem informação de maneira simples e didática, atraindo potenciais clientes que percebem o prestador como uma figura de autoridade, capaz de solucionar problemas. 

    Uma empresa de consultoria ambiental educa o público através de publicações que informem a importância do trabalho que exerce, obtendo como consequência direta o aumento de seus contratos. 

    1. Aulas e cursos

    Podendo ser um desdobramento das consultorias, a oferta de cursos e aulas particulares faz parte da prestação de serviços voltada à educação, suprindo a demanda de algo que esteja em falta. 

    Os pequenos empreendedores podem produzir materiais para reforço escolar, monitorias em áreas do conhecimento, cursos fechados em finanças, cultura, direito e qualquer outro tema que o profissional julgue ser relevante. 

    Opções disponíveis na indústria

    Ao contrário do senso comum, a indústria não é um segmento restrito a grandes produtores e investidores dispostos a construir cadeias de fábricas. O pequeno empreendedor pode ingressar nesta área e produzir produtos de alta procura para sua região. 

    1. Fabricação de alimentos

    A indústria é caracterizada pela transformação de uma matéria-prima em produto final que pode ser vendido a indivíduos ou empresas de outros setores. Um fabricante de etiquetas adesivas pode transformar materiais como metal e látex. 

    Na seção de alimentos, uma matéria-prima promissora para o desenvolvimento de pequenas indústrias é o cacau, principal ingrediente para a produção do chocolate. Fornecendo um dos produtos mais procurados, sua produção barata promete altos lucros.

    1. Fabricação de itens para cama, mesa e banho

    Os utensílios domésticos são itens de alta demanda, mesmo em tempos de instabilidade econômica. Tais artigos assumem caráter de sobrevivência ou de melhorias para o bem-estar dos moradores de uma casa ou apartamento. 

    O uso de motores elétricos industriais de baixo custo pode potencializar uma pequena fábrica de produtos de limpeza, velas ou confecção de toalhas, colchas e outros tecidos aplicados em camas. 

    Conclusão

    Para qualquer setor por onde um pequeno empreendedor pretenda investir, é necessário investigar o mercado, suas modificações e quais as demandas do cenário atual. Conhecer o produto e o público para quem precisa oferecê-lo é garantia de estar um passo à frente. 

    O cuidado com o estado financeiro do novo negócio, incluindo a separação entre as finanças pessoais e da empresa é fundamental para sobreviver à crises. Os estabelecimentos que suportaram a pandemia refletem a importância do controle de gastos.

    O empreendedor deve ter em mente a finalidade de sua função e a preocupação em melhorar seus processos, de forma a oferecer o melhor serviço, auxiliando o mercado consumidor a superar desafios. 

    Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

    Compartilhe:
    Compartilhar no facebook
    Compartilhar no twitter
    Compartilhar no linkedin
    Compartilhar no pinterest
    Compartilhar no tumblr
    Compartilhar no whatsapp

    publicidade

    social

    publicidade