Michael Campos

Marketing humanizado: o que é e como funciona?

Guia de Investimento
Guia de Investimento

Entre para nossa lista e receba
conteúdos exclusivos em primeira mão!

    Marketing humanizado o que é e como funciona

    O marketing humanizado tem trazido às empresas uma nova forma de se conectar com seus clientes, sem deixar de colocar em pauta as principais estratégias que induzem à compra, só que neste caso, isso acontece de forma muito mais genuína e cuidadosa.

    Para entendermos como essa nova definição caiu nas graças de empresas dos mais variados setores, por exemplo uma de transporte de alimentos, é preciso pensar na própria sociedade.

    Hoje, com tantas ferramentas tecnológicas ao nosso redor, unificadas com diferentes pensamentos e modernizações de pensamentos, uma empresa, ao vender, deve ser cada vez mais cuidadosa e pensar que os consumidores estão mais poderosos do que antes.

    Isso porque com a facilidade que temos, por exemplo, para comprar uma roupa online, conseguimos ter uma escolha mais interna sobre os lugares onde queremos consumir.

    Aliado a isso, podemos entender que uma pessoa que pode escolher quando e onde comprar, tendo uma vasta opção de concorrentes daquela empresa escolhida, pode ter a autonomia de decidir se aquele lugar de fato se conecta com ela em diferentes sentidos.

    Um deles é a questão do reconhecimento, da identidade refletida à imagem de uma corporação, de como ela vende e na forma como ela pensa a produção e a compra em si.

    Exemplo disso são empresas que não disponibilizam roupas em um tamanho plus size, destinado aos números maiores de vestimentas, quase sempre pouco encontrados.

    Por exemplo, uma cliente que trabalha em empresas de saúde ocupacional e que precisa de uma farda com suas medidas vai ter muito mais propensão a comprar e indicar lojas que olham dentro de um viés pouco percebido pelas grandes marcas, e pode se tornar fiel a ela.

    Isso impacta profundamente quem não pensa assim, as empresas que não buscam a empatia pelo próximo no momento em que escolhem não oferecer mais opções a clientes.

    Esse é um dos muitos exemplos que temos hoje em dia em relação à conexão entre consumidor e marca, mas que consegue evidenciar de maneira geral o quanto o poder de compra foi modificado, e como a ampla escolha impacta na opção por uma compra ou não.

    O que é o marketing humanizado?

    Seguindo a linha do que falamos acima, sobre a disposição do mercado não apenas em ofertar algo que muitos públicos não encontram, mas também pensar melhor no que o seu público deseja, fica mais fácil entender de fato o significado de marketing humanizado.

    De modo geral, podemos entender essa vertente, uma das mais quentes do mercado, como uma maneira de proporcionar experiências e identificação com o que o cliente quer.

    E isso se inclui em empresas de todos os ramos, como marcas de moda íntima e até mesmo uma corporação de suporte de TI para pequenas empresas. O ideal neste caso é prover uma forma de conexão, indo além do pensamento que o cliente é um público-alvo.

    Isso induz a uma renegociação daquilo que entendemos como o cliente ideal da empresa, afinal, dentro do marketing existe, além de tantas outras questões, uma forte generalização.

    Por exemplo, entendemos muitas vezes que os clientes perfeitos de uma loja de acessórios para carro são pessoas que condizem com as características de quem gosta de carros, algo firmado em nosso subconsciente e também em estereótipos, que são:

    • Homens;
    • Pessoas mais velhas;
    • Classes sociais altas;
    • Aqueles que compram presencialmente.

    Ainda que existam pessoas que se encaixam nessa forma de pensar, não existe nenhuma ligação com a realidade de forma generalizada, deixando de lado então muitas pessoas.

    Por isso, o ideal do marketing humanizado é o trabalho com três principais frentes, ditas como a base desse tipo de comunicação: a emoção, a empatia e a ética.

    Quando falamos sobre a emoção, devemos remeter à forma de falar com o cliente, retirando então uma capa de afastamento e introduzindo uma humanidade da empresa, seja em contar histórias de consumidores ou até mesmo falar sobre a criação da empresa.

    Na questão que envolve a empatia, como o próprio nome sugere, devemos sempre evocar o pensamento focando no outro, em diferentes realidades e maneiras de viver.

    Nisso é importante saber, por exemplo, se seus clientes que compram cesta de alimentos moram em lugares periféricos, como eles trabalham, onde eles costumam ir, os diálogos e desejos que eles têm, de modo a entender como de fato se comunicar e vender para eles.

    A base ética dentro do marketing humanizado viabiliza o que a empresa deve fazer, em suas atividades e colocações, para que nem o público e nem ela mesma ajam contra a organização em si.

    Sobre isso, entendemos que, se uma empresa de, por exemplo, câmera de vigilância afirma que existem doações constantes para crianças carentes, isso deve de fato acontecer na prática.

    A importância do atendimento ao cliente

    Dentro disso, um dos pontos mais importantes para incorporar a conexão com o público é por meio do atendimento ao cliente, sendo feito ao vivo ou por meio de canais de comunicação, como o caso de mensagens por sites e redes sociais.

    Nesses dois pontos, a linguagem deve sempre ser conectada com o que a empresa acredita, de forma que desde o dono até o funcionários trabalhem na mesma vertente.

    Por exemplo, se uma empresa de manutenção relógio de ponto trabalha com reciclagem de materiais e assim evoca a sustentabilidade, essa deve ser uma verdade e uma rotina a ser feita por todos, inclusive algo incorporado no atendimento ao cliente na hora da venda.

    Isso faz com que a empresa crie uma continuidade dentro de suas ideias e convicções, fazendo com que o cliente de fato entenda-a por completo e acredite no que ela diz.

    Na internet, bem como nas redes sociais, essa deve ser uma forma contínua de transmissão dos desejos da empresa para com seus clientes, e a linguagem é essencial.

    Isso porque a maneira de se comunicar com seus seguidores, compreendendo seus desejos, medos, quereres e maneiras de conexão com seus grupos e com as marcas que mais eles se identificam é também uma maneira de promover uma proximidade.

    Vemos isso quando uma empresa de soluções em internet produz conteúdos interessantes, engraçados e altamente próximos de seus clientes, entendendo como eles se movem.

    Esse tem sido um ponto que vem cada vez mais favorecendo empresas que trabalham com marketing humanizado, visto que não há ambiente mais humano e mais propício para uma conexão do que as redes sociais, vistas como uma extensão do convívio humano.

    Empresas que seguem esse critério dentro de suas decisões e formas de exibição de suas identidades acabam trazendo naturalmente uma maior propensão à identificação, o que gera uma maior movimentação de seus seguidores e assim agrega mais vendas.

    Como investir em uma equipe humanizada

    Como falamos ao longo da conversa acima, prover uma humanização tanto internamente quanto no tratamento com os clientes vem sendo uma das prioridades para empresas nos últimos tempos, começando sempre de dentro para fora, ou seja, com seus funcionários.

    Sobre isso, separamos abaixo alguns pontos de atenção para empresas de catraca biométrica, bem como outros segmentos que têm como foco esse tipo de ação e interesse:

    Treinamentos são essenciais

    Treinamentos e cursos servem para potencializar os principais métodos da empresa para todos que ali trabalham, fazendo um acompanhamento muitas vezes individual com cada trabalhador e aquilo que importa para eles.

    Por meio disso, as empresas conseguem atingir um máximo de pessoas, fazendo com que todos possam disponibilizar atendimentos corretos para os clientes, sem muito esforço.

    Conversas próximas com colaboradores

    É conversando com os colaboradores e entendendo suas vontades e também opiniões que a empresa consegue formatar uma melhor vivência interna, colocando como prioridade aquilo que de fato une essas duas partes, conseguindo qualificar suas equipes.

    Por exemplo, dentro de conversas desse tipo, uma empresa pode ter a conexão com uma opinião de um colaborador, relacionado a preconceitos no trabalho, e sugerir mudanças.

    Organização da cultura empresarial

    A cultura de uma empresa representa alguns dizeres, práticas e propósitos a serem dispostos por todos, de maneira integrada e altamente visível aos clientes.

    Para começar a colocar esse ponto em prática o ideal é fazer com que todos passem a ter como prioridade no dia a dia rotinas e comportamentos que evoquem aquilo que a empresa mais exibe externamente e internamente, como sustentabilidade ou equidade de gênero.

    Considerações finais

    O marketing humanizado é de longe uma das principais prioridades das empresas na atualidade, mantendo-se como ponto de equilíbrio entre o que a empresa deseja para si o que o cliente e até mesmo o funcionário pensam em relação a isso.

    Com a prioridade da empatia, na preocupação com a emoção e com a ética, corporações dos mais variados portes têm revolucionado suas comunicações e atendimentos.

    Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

    Compartilhe:
    Compartilhar no facebook
    Compartilhar no twitter
    Compartilhar no linkedin
    Compartilhar no pinterest
    Compartilhar no tumblr
    Compartilhar no whatsapp