Michael Campos

Entenda como posicionar seu site no Google

Gizella Almeida
Gizella Almeida

Entre para nossa lista e receba
conteúdos exclusivos em primeira mão!

    Compartilhe

    A internet está repleta de conteúdos que indicam como posicionar seu site no Google, com muitas dicas e truques de SEO (Search Engine Optimization) e SEM (Search Engine Marketing), em conjunto com estratégias de inbound marketing.

    No fundo, tudo gira em torno da satisfação de fatores que o algoritmo do mecanismo de pesquisa do Google pode ter para classificar os bilhões de sites espalhados pela internet. 

    Dessa forma, é preciso conhecer os fatores de classificação, levando em conta que a plataforma de pesquisa do Google é um dos mecanismos de busca mais populares que já existiram, dada a jovialidade da internet na história da humanidade. 

    Infelizmente, tentar entender os mais diversos fatores de classificação pode ser um desafio para aqueles que tentam classificar os sites em um alto posicionamento Google nos resultados frequentes. 

    Quando uma empresa terceirizada de limpeza se apresenta na internet, é preciso lembrar qual o modelo de negócio disponível para o mercado, e quais são os elementos que estão relacionados com esse tipo de serviço, em específico. 

    No entanto, é preciso saber que nem todos os fatores de classificação têm o mesmo peso, e é importante conhecer os processos e parâmetros necessários para conseguir um bom ranqueamento – considerando os principais aspectos para o posicionamento.

     

    Alguns elementos serão muito mais críticos para um determinado site, especialmente se for tentar classificar no topo dos resultados apresentados pelo Google, conforme mostraremos a seguir.

    Sendo assim, vale conhecer ao menos 6 fatores de classificação e posicionamento Google mais importantes e que devem ser levados em consideração para que um site possa se destacar perante os concorrentes e chamar a atenção de internautas e, por que não, consumidores.

    1. Segurança está entre os mais emblemáticos

    A segurança não é apenas um fator importante para se classificar um site, mas é um fator crucial a ser considerado para a empresa e pelos usuários, de uma maneira ou de outra. 

    Afinal, o mundo digital está exposto a muitas ameaças, e não implementar fatores de segurança adequados e definitivos para um site pode deixar não só a empresa em si, mas também os usuários à mercê de invasores e hackers.

    Para falar de balança comercial, muitas empresas estão envolvidas, o que também resulta em número e cifras que precisam de toda a segurança possível, principalmente por causa da facilidade proporcionada pela digitalização de diversos processos. 

    Para garantir a satisfação dos algoritmos de pesquisa do Google, e ainda se cumpra a responsabilidade de proteção de um site (bem como a experiência dos usuários), há algumas táticas que podem ser testadas e, no momento oportuno, implementadas. 

    Uma tática importante é garantir que o site esteja em HTTPS. Essa sigla significa “Hyper Text Transfer Protocol Secure”, ou seja, “Protocolo de Transferência de Hipertexto Seguro”, onde é possível criptografar os dados que são enviados entre o serviço do site e o navegador do usuário.

    Isso mantém as informações protegidas de qualquer invasor que tente interceptar a conexão e roubar quaisquer dados. 

    Por meio da segurança, é possível criar um site confiável sobre consultoria empresarial, e isso se torna um sinal positivo para que os algoritmos do mecanismo de busca do Google possam confiar e apresentar como um resultado satisfatório na plataforma digital. 

    Isso também traz credibilidade ao usuário, que passa um maior tempo interagindo com a página, o que agrega ainda mais valor aos algoritmos.

    1. O uso e confiança de backlinks

    Os backlinks são mais importantes do que muitas pessoas imaginam. É o segundo fator mais importante a se considerar, logo atrás do conteúdo, que vamos ver ao longo do texto. 

    Por meio de backlinks o Google pode verificar se existem outras maneiras de um site obter tráfego orgânico. 

    Além disso, é um sinal de confiança nos algoritmos de busca, onde outras fontes de informação podem provar que os usuários confiam em determinado site. 

    Com isso em mente, vale ressaltar que os backlinks de sites de alta autoridade são muito mais valiosos do que outros sites que ainda estão construindo a autoridade. 

    As empresas automobilísticas que estão definitivamente estabelecidas no mercado podem ser relacionadas a outros negócios que agregam valor à experiência de seus usuários, como fornecedores de selante para radiador  que são instalados nos veículos, utilizando um backlink valoroso.

    Essencialmente, quanto maior a autoridade do site que se faz um backlink, mais confiável a empresa se mostra. 

    Por causa dessa confiança, o Google sabe se um site é confiável e pode ser garantido, recompensando com uma classificação mais alta no posicionamento dentre os resultados obtidos por internautas. 

    1. Prática SEO e a aplicação de palavras-chave

    Ao pesquisar SEO, é possível encontrar inúmeros artigos falando sobre palavras-chave. 

    Eles fazem isso simplesmente porque são elas que conectam a pesquisa do usuário ao conteúdo de uma empresa que faz vistoria veicular, por exemplo, o que proporciona um tráfego orgânico. 

    Contar com palavras-chave que estejam relacionadas às finalidades da empresa, e o que oferece para o público, ajuda a atrair o tráfego orgânico certo, o que se mostra um sinal positivo para o mecanismo de busca do Google. 

    Para implementar palavras-chave em um site, existem alguns métodos que precisam ser levados em consideração. 

    Sendo assim, é válido adicionar palavras-chave em:

    • Descrição de vídeo;
    • Meta-descrição;
    • Textos alternativos de imagem;
    • Título e subtítulo (H1, H2);
    • URLs amigáveis.

    É preciso observar, entretanto, que é preciso evitar o preenchimento de palavras-chave de forma que se transforme em spam

    Isso torna o conteúdo pouco natural para leitura, e pode ser um sinal para que os algoritmos do Google identificarem que há uma tentativa de implementação de palavras-chave aleatórias, o que prejudica a experiência do usuário. 

    1. Qualidade do conteúdo é incontestável

    O conteúdo é o ápice quando se trata de posicionamento Google e oferecer a melhor experiência para o usuário. 

    As pessoas estão online para procurar conteúdo para vários fins, seja para entretenimento, projetos educacionais, situações profissionais ou pessoais, a construção de um muro pré moldado ou qualquer outro motivo. 

    Por isso que, por meio do conteúdo produzido, é válido implementar táticas como backlinks, palavras-chave, entre tantas outras táticas de aproximação para melhor ranqueamento nos resultados do Google.

    Ainda assim, é preciso se atentar que nem todo conteúdo tem a devida qualidade, e isso é algo que todos que estão envolvidos com a internet, e o marketing digital, em particular, devem estar cientes. 

    Mas afinal de contas, o que é um bom conteúdo?

    A resposta direta é que se trata de um conteúdo original, único, atualizado e de fácil leitura. O que o Google também leva em consideração é a duração de leitura, principalmente.

    Dessa forma, a relevância e valor para os visitantes sobre tratamentos que determinam se a ozonioterapia emagrece, por exemplo, são fatores muito mais significativos de todos eles. 

    Ou seja, é preciso se concentrar na produção de conteúdo relevante e de alta qualidade para o usuário. 

    1. Velocidade de carregamento da página

    A velocidade de carregamento de uma página é algo que não deve ser ignorado em momento algum.

    Nos dias atuais, as pessoas estão com pressa de chegar a algum lugar, fazer algo e concluir uma tarefa. 

    Quando se trata de sites, os visitantes esperam um carregamento rápido e responsivo para chegar ao que eles realmente precisam alcançar. 

    Se algo os atrasa, eles ficam inquietos, frustrados e até com raiva, levando-os a abandonar o site em questão. Ninguém quer que isso aconteça, já que o abandono impacta no ranqueamento, isso sem mencionar na credibilidade perdida e que pode ser passada a outros clientes.

    Para garantir que isso não ocorra, é preciso se certificar de que o site esteja otimizado da melhor forma possível. 

    Assim, fica mais fácil recorrer a ferramentas digitais para testar a velocidade do site, e receber informações sobre o que pode ser feito para melhorar a velocidade e a experiência do usuário, de uma maneira geral. 

    Vale lembrar que, quanto mais rápido um site carrega, melhor. Dentro do Core Web Vitals proposto pelo próprio Google, o carregamento deve ocorrer em menos de 3 segundos. 

    Se o site é um e-commerce, é preciso que ele carregue ainda mais rápido, para não perder vendas e reter o cliente. 

    1. Compatibilidade com dispositivos móveis

    A internet chegou para ficar, e há muitos usuários que estão acessando por meio de dispositivos móveis, o que obriga as empresas a oferecerem uma boa experiência ao usuário.

    Não só isso, mas também um bom desempenho na internet porque a maioria das pesquisas na internet, seja sobre tratamento de água ou para a realização de uma compra, são feitas em uma plataforma móvel. 

    Dessa forma, é preciso manter os usuários de dispositivos móveis satisfeitos, o que garante que um site seja compatível com os diferentes equipamentos eletrônicos disponíveis, principalmente tablets e celulares smartphones. 

    Isso permite que os usuários que trabalham com uma tela pequena naveguem de forma célere pelo site, e façam tudo que precisa ser feito sem qualquer problema. 

    O Google também deixou de se concentrar no próprio site para computador para se adequar a um site para celular, tendo a versão principal para indexação. 

    Ou seja, uma gigante da tecnologia sabe que mais e mais pessoas vão fazer pesquisas em celulares, e essa é uma mudança que todas as empresas devem se ajustar. 

    Conclusão

    Por fim, é preciso criar um site amigável que não apenas os visitantes gostem de visitar e usar, mas que o Google possa recompensar com uma classificação alta para satisfazer os usuários. 

    Dito isso, há muitos outros fatores a serem considerados, como criar uma boa estrutura de site para facilitar o rastreamento e a indexação, aumentar a autoridade de domínio e, assim, provar a experiência para qualquer internauta, e também a concorrência. 

    Entenda, afinal, que os diferentes esforços, seja em sites corporativos ou blogs para inclusão de conteúdo, devem trabalhar lado a lado dos algoritmos que o Google deseja manter na plataforma, recompensando com uma classificação alta e aumentando os negócios das empresas.

    Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Business Connection, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

    Compartilhe:

    publicidade

    social

    publicidade