Michael Campos

Aprenda como criar um plugin no WordPress

Guia de Investimento
Guia de Investimento

Entre para nossa lista e receba
conteúdos exclusivos em primeira mão!

    Compartilhe

    Compartilhar no facebook
    Compartilhar no twitter
    Compartilhar no linkedin
    Compartilhar no pinterest
    Compartilhar no tumblr
    Compartilhar no whatsapp

    O WordPress é um desenvolvedor de sites que tem sido muito utilizado para os negócios, especialmente devido aos benefícios do plugin. Então, saber como criar um plugin no WordPress se tornou essencial para quem deseja otimizar as vendas.

    Um plugin é uma ferramenta que visa estender e adicionar funcionalidades que já existem no WordPress.

    O WordPress consiste em um conjunto relativamente pequeno de recursos, que são chamados coletivamente de ‘núcleo’ da plataforma. Plugins são complementos para download, contendo arquivos e código que expandem ou alteram esse núcleo. 

    O plugin permite que você adicione todos os tipos de recursos ao seu site em segundos. No entanto, às vezes você não consegue encontrar um plugin que atenda às suas necessidades ou pode simplesmente tentar desenvolver sua própria solução.

    Você pode criar um plug-in com apenas algumas linhas de código e precisa de pouco conhecimento ou experiência anterior para montar algo simples.

    Categorias de plugin

    Os plugins podem ser divididos em categorias conforme a funcionalidade para a qual foi criado: Segurança, Analytics, e-commerce e suas funções e acréscimo de funcionalidades. Veja os detalhes abaixo:

    Segurança

    A proteção e segurança dos usuários na internet se tornou regra, especialmente após a promulgação da Lei Geral de Proteção de Dados em 2018. Assim, ter plugins que reforcem a segurança de um site é imprescindível.

    Com o avanço dessa necessidade de proteção, os plugins do WordPress se tornaram cada vez mais robustos e eficazes. Dentro dessa categoria, os plugins evitam que haja invasão do site para roubo de dados e extorsão de clientes.

    Analytics

    A análise dos resultados que estão sendo obtidos por meio das campanhas de marketing é feita por meio da ferramenta Analytics. Ela permite obter um panorama de como sua propaganda aparece e quais as características do seu público-alvo a longo prazo.

    Os plugins dentro do WordPress permitem uma constante atualização das métricas, sendo muitas vezes, em tempo real. Isso contribui para que você acompanhe as tendências da internet e do seu público-alvo.

    E-commerce e suas funções

    Muitos usuários buscam o WordPress para criar um site ao seu negócio online, o que exigirá uma série de funcionalidades da página como:

    • Catálogo de preços;
    • Fotos de produtos;
    • Chatbot (robô para conversação);
    • Descrições dos produtos e serviços;
    • Gestão de estoques.

    Todas essas funcionalidades podem ser geridas por meio do uso de plugins da categoria criação e manutenção de e-commerce.

    Supondo um site de faculdade que fornece curso de design gráfico ead, a existência de um plugin de e-commerce é essencial para apresentar as características, preço e possibilitar ao cliente a compra de modo mais prático.

    Acréscimo de funcionalidades

    Embora a plataforma apresente uma série de funcionalidades que contribuem para criação e manutenção do site, alguns recursos extras necessários ao seu negócio podem não estar disponíveis naturalmente.

    Para adicioná-las existem plugins que podem ser personalizados ou que complementam as suas necessidades para o site.

    No caso de uma empresa de terceirização de serviços de impressão, o gestor pode querer um botão extra no site para personalização do material para impressão, a fim de gerar uma amostra ao cliente. Isso é possível por meio desta categoria de plugin.

    Ferramentas para criar um plugin

    Sabendo das categorias existentes em relação aos plugins, vamos entender quais as ferramentas necessárias para criação de um personalizado, que atenda exclusivamente às suas necessidades.

    Antes de criar o plugin, deve-se ter em mente que esse deve ser composto por:

    • O arquivo do plugin principal;
    • Pastas para diferentes tipos de arquivo;
    • Scripts;
    • Folhas de estilo;
    • Arquivos para organizar o código.

    Para o atendimento desses parâmetros, será necessário um editor de texto, acesso a conta de FTP e instalar o WordPress.

    Editor de texto

    Esse recurso é essencial para que você projete e gere as linhas de código que comandarão o seu plugin. O Notepad + + é um dos recursos mais usados dentre programadores, por ser mais flexível e de fácil inserção para a linguagem de programação.

    Acesso à conta de FTP

    A conta FTP (File Transfer Protocol), ou Protocolo de Transferência de Arquivos funciona como um programa de transferência de arquivos, como o próprio nome sugere. Ele permitirá que as funcionalidades programadas em texto sejam incorporadas ao site.

    Instalar o WordPress

    O software do WordPress deve estar instalado no computador e funcionando adequadamente, o que permitirá que você consiga acompanhar o andamento dos plugins e controlar as funcionalidades de modo mais rápido e prático.

    7 passos para criar seu plugin no WordPress

    Agora que você já sabe quais as funcionalidades do plugin, as categorias e o que é necessário para criação de um, confira os 7 passos necessários para criar o seu hoje mesmo.

    1. Crie uma pasta

    Para criar um plugin, tudo que você precisa fazer é criar uma pasta e, em seguida, criar um único arquivo com uma linha de conteúdo.

    Sendo assim, você deve ir até o diretório do site, procurar por “wp-content/plugins”, criar uma pasta com o nome que deseja e, em seguida, um arquivo de extensão .php com o mesmo nome da pasta.

    No caso de sua empresa trabalhar com montagens industriais, em uma situação hipotética, você pode criar um arquivo com o nome industrialplugin.php.

    2. Crie um espaço-teste

    Quando estiver desenvolvendo qualquer coisa, seja criando um plugin ou fazendo outras alterações que podem afetar seu site, você deve sempre usar um ambiente de teste. 

    Isso também é conhecido como ‘site de teste’ ou ‘ambiente local’, dependendo se o site está armazenado em um servidor externo ou em seu próprio computador.

    Independentemente da localização, o ambiente de teste deve ser uma cópia privada do seu site, o que permite que você adicione e edite os arquivos e funcionalidades, sem o risco de causar danos ao site real ativo. 

    Essa condição é especialmente importante quando você está trabalhando com arquivos e plugins principais, pois erros podem causar danos permanentes ao seu site. Uma das melhores ferramentas para isso é o DesktopServer que cria no próprio computador.

    Suponha que você tem uma empresa cujo produto é sistema de gestão de ativos. No caso de testar algumas funcionalidades diretamente no site você pode prejudicá-lo e gerar exposição dos dados dos clientes, por exemplo.

    3. Estabeleça funcionalidades ao plugin

    O planejamento é essencial para toda estratégia de marketing e nova funcionalidade que se estabeleça dentro do site. É necessário pensar nas razões para a criação de um novo plugin, quais seus benefícios e qual o público-alvo a ser atingido.

    Nesta etapa devem ser levantadas as características da funcionalidade, além dos detalhes dos processos, para que, ao chegar na etapa de programação, tudo fique mais claro e flua naturalmente.

    Para você que vende sistema de automação comercial podem ser interessantes plugins que promovam experimentação da automação dentro do negócio do cliente, como uma simulação.

    4. Elabore um cabeçalho

    A elaboração de um cabeçalho envolve algumas linhas de código a serem acrescidas dentro do arquivo php criado na etapa 2. O código a ser adicionado é:

    • /**;
    • * Plugin Name: Your Plugin Name;
    • * Plugin URI: https://yourdomain.com;
    • * Description: Insert a brief description of what your plugin does here;
    • * Version: 1.0.0;
    • * Author: Your Name;
    • * Author URI: https://yourdomain.com;
    • * License: GPL2;
    • */.

    O cabeçalho incluirá as características e funcionalidades do seu plugin, que foram estabelecidas na etapa 3.

    No caso de uma empresa que vende software para franquias, o cabeçalho pode conter, por exemplo, informações a respeito das funcionalidades, características e dados sobre licença e quem está criando. 

    5. Planeje o plugin

    Nesta etapa entra a programação efetiva das funcionalidades do plugin, sendo que devem ser criados arquivos CSS e Java Script para tal.

    A criatividade e experiência guiarão esta etapa permitindo com que a funcionalidade outrora planejada seja finalmente criada.

    Por exemplo, se você tem um negócio de contabilidade para pequenas empresas e deseja disponibilizar um plugin para simulação de imposto de renda do potencial cliente em seu site. Nesta etapa essas funções poderão ser planejadas. 

    6. Comprima o plugin

    Tendo os arquivos com as funcionalidades definidas e o cabeçalho preenchido, você deve compactá-lo para um formato zip, a fim de transferir ao site com maior facilidade.

    Por exemplo, se você tem um site para soluções audiovisuais, poderá compactar os arquivos para adição de personalização de design com o nome audiovisual.zip.

    7. Execute e ative

    Esta etapa ocorre para colocar em pleno funcionamento o plugin criado nas anteriores. Para isso, você deve acessar a sessão de Plugins no dashboard, entrar na opção Adicionar Novo e Carregar Plugin, escolhendo então o arquivo“.zip” que você criou.

    Tendo o plugin adicionado, é só ir até o menu, selecionar o respectivo e então clicar em “ativar”. Pronto, aplicação em funcionamento.

    Os plugins são essenciais dentro do WordPress, especialmente para o E-commerce. Siga essas dicas para melhoria e personalização dos plugins do seu site e tenha ainda melhores resultados quanto à experiência do usuário.

     

    Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

    Compartilhe:
    Compartilhar no facebook
    Compartilhar no twitter
    Compartilhar no linkedin
    Compartilhar no pinterest
    Compartilhar no tumblr
    Compartilhar no whatsapp

    publicidade

    social

    publicidade